Quinta-Feira, 22 de Agosto de 2019 Fale Conosco Redação: (45) 9.9801-2350

IBGE: Paraná é o Estado com maior crescimento na produção industrial

MAIOR CRESCIMENTO | 15/07/2019 | 12:11 |
| Fotos: Montagem/Reprodução |
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A produção industrial do Paraná cresceu 10,4% entre janeiro e maio deste ano na comparação com o mesmo período do ano passado (No mesmo período, a produção industrial total no Brasil registrou queda de 0,7%.).

Segundo o relatório do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgado na sexta-feira (12/10), esse foi o melhor resultado entre todos os estados brasileiros.

 

 

Retomada gradual 

O balanço aponta retomada gradual da economia e leva em consideração a produção de carros, caminhões, máquinas agrícolas reboques e o agronegócio, impulsionado pela industrialização de carnes.

 

Automóveis 

O setor automobilístico, com alta de 29% em comparação com o mesmo período de 2018, inclui tanto automóveis quanto caminhões para reboques e semirreboques. Também tiveram destaque na alavancada o setor de máquinas e equipamentos, que inclui tecnologia para colheita agrícola, com aumento de 28,9%, e de produtos alimentícios, alta de 13%.

 

Brasil

De acordo com a Pesquisa Industrial Mensal, no mesmo período, a produção industrial total no Brasil registrou queda de 0,7%, pendente de investimentos e de uma cadeia mais sólida na economia. Apenas Paraná, Rio Grande do Sul (8,8%), Santa Catarina (6,1%), Ceará (3,6%), Goiás (3,2%), Pernambuco (1,5%), São Paulo (0,5%) e Bahia (0,1%) registraram dados positivos nos primeiros meses de 2019 em relação ao começo de 2018.

 

Maio 

O Paraná também se destacou no comparativo do crescimento registrado em maio deste ano e maio de 2018, com alta de 27,8%, melhor resultado do Brasil. Esse índice ajudou a puxar o resultado do País, com crescimento na ordem de 7,1%. Dois fatores influenciaram esse avanço, segundo o IBGE: o efeito-calendário (maio de 2019 teve um dia útil a mais) e uma base de comparação diminuta, pois em maio de 2018 a atividade industrial havia recuado -6,3%, refletindo os efeitos da paralisação dos caminhoneiros.

 

Acumulado 

No acumulado do ano, apesar dos 10,4% do Paraná, houve redução na produção nacional, que alcançou sete dos quinze locais pesquisados, com destaque negativo para Espírito Santo (-11,8%), Pará (-6,2%) e Minas Gerais (-4,3%). Esses estados foram pressionados, principalmente, pelos recuos assinalados por indústrias extrativas e em celulose, papel e produtos de papel. Mato Grosso (-2,7%), Amazonas (-1,8%), Rio de Janeiro (-1,5%) e Região Nordeste (-1,4%) completaram o conjunto de locais com recuo acumulado no ano.

 

Abril a maio 

Na variação mensal, a produção industrial paranaense teve alta de 0,7%, enquanto a média nacional teve queda de -0,2%. Na série da Pesquisa Industrial Mensal, oito dos quinze locais mostraram taxas negativas. Apenas Pará (59,1%), Rio de Janeiro (8,8%), Goiás (1,6%), Amazonas (1,2%), Bahia (1,1%), Paraná (0,7%) e São Paulo (0,1%) tiveram alta.

 

Últimos doze meses

Os números do Paraná também são positivos numa perspectiva de médio prazo, com crescimento de 6,3% nos últimos doze meses. O acumulado nacional passou de -1,1% em abril de 2018 para 0% em maio de 2019 e apenas interrompeu a trajetória descendente iniciada em julho de 2018.

 

Principais ganhos 

Segundo o IBGE, os principais ganhos de ritmo foram no Paraná (de 3,1% para 6,3%), Rio Grande do Sul (de 6,5% para 9,2%), Goiás (de -4,9% para -2,5%), Santa Catarina (de 2,8% para 5%), Bahia (de -0,8% para 1,4%), Mato Grosso (de -2,6% para -0,9%) e Ceará (de -0,1% para 1,5%

 

Com Portal Paraná Cooperativo – Sistema Ocepar

 

PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
INSCREVA-SE NA NOSSA NEWSLETTER E RECEBA AS PRINCIPAIS NOTÍCIAS POR E-MAIL