Quarta-Feira, 14 de Novembro de 2018

Levantamento aponta focos do mosquito da dengue Marechal Rondon

O resultado da última amostragem, realizada nos dias 3, 4 e 5 de janeiro, apresentou 8,1% de presença de larvas do mosquito .

Marechal Cândido Rondon

| 10/01/2018 | 13:46 | Assessoria
Levantamento aponta focos do mosquito da dengue Marechal Rondon | Marechal Cândido Rondon
PUBLICIDADE
O Programa Municipal de Controle da Dengue (PMCD) de Marechal Rondon, divulgou o resultado do primeiro Levantamento Rápido do Índice de Infestação por Aedes aegypti (LIRAa), deste ano. O resultado da última amostragem, realizada nos dias 3, 4 e 5 de janeiro, apresentou 8,1% de presença de larvas do mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya, em imóveis no município. 

O índice geral é considerado preocupante, já que para o Ministério da Saúde o ideal é que ele seja menor que 1%. No entanto, segundo o coordenador do PMCD do setor de Endemias da Secretaria de Saúde, Sérgio Sigmar Radke, mesmo com números nada positivos, o resultado já era esperado. “O alto volume de chuvas, aliado ao calor, contribuiu para esse resultado, pois vários locais ficaram com acúmulo de água, facilitando o aparecimento de focos de larvas”, explica. 

Índice
Ao todo, 943 imóveis foram visitados, em um total de 18 localidades. Nesses locais, foram encontrados 58 focos positivos para aedes aegypti. O Centro, com 21 focos, o Augusto, com 11 e o Primavera com 7 focos, são os locais que apresentam as incidências mais altas.

Prevenção
Radke lembra que a colaboração da população é fundamental para que não surjam novos casos da doença, no município. “As orientações permanecem as mesmas: não deixar recipientes e locais com acúmulo de água, remover folhas e galhos das calhas, manter pneus sem água e garrafas viradas com a ‘boca’ para baixo, colocar o lixo em sacos plásticos, manter a caixa d’água fechada, manter o quintal limpo, entre outros cuidados”, reforça.

Agentes
O coordenador ressalta ainda, a importância de permitir a visita dos Agentes de Combate às Endemias (ACE). “O trabalho de prevenção depende de todos, incluindo a presença dos agentes de combate às endemias, na rotina das visitas das casas. Temos relatos de moradores que não permitem a entrada dos agentes, porém, é preciso lembrar que eles estão apenas fazendo o trabalho deles, que não é em benefício próprio, mas sim de toda a comunidade”, destaca.

Caso necessário, o Ministério Público (MP) pode ser acionado e assim, o agente pode ter sua entrada forçada na residência ou em locais particulares abandonados. 


Quer receber as notícias mais importantes de Marechal no WhatsApp? Clique aqui

VEJA MAIS SOBRE Marechal Cândido Rondon
EM DESTAQUE
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
ENTRETENIMENTO E VARIEDADES
INSCREVA-SE NA NOSSA NEWSLETTER E RECEBA AS PRINCIPAIS NOTÍCIAS POR E-MAIL