Quinta-Feira, 22 de Agosto de 2019 Fale Conosco Redação: (45) 9.9801-2350

Neco é absolvido em processo disciplinar e permanece como vereador em Marechal Rondon

6 x 5! 1 em BRANCO | 18/07/2019 | 21:15 |
Advogado Giovani Miguel Lopes e o vereador Dorivaldo Kist (Neco) | Fotos: Cristiano Viteck |
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O vereador Dorivaldo Kist (Neco), do MDB, foi absolvido no processo disciplinar que ele respondia na Comissão de Ética e Decoro Parlamentar do Poder Legislativo de Marechal Cândido Rondon. A decisão aconteceu na noite de hoje (18), durante sessão extraordinária. 

6 vereadores votaram pela absolvição, 5 foram favoráveis à perda do mandato e um vereador votou em branco. 

Conforme o Regimento Interno da Casa de Leis e por determinação do Poder Judiciário da Comarca, eram necessários nove votos favoráveis para cassar o vereador, em escrutínio secreto.

Neco era acusado de exigir parte do salário de uma funcionária comissionada da Prefeitura, que teria sido indicada por ele ao cargo. Durante todo o processo e na sessão de hoje, o vereador negou as acusações, afirmando que o dinheiro repassado pela funcionária era referente ao pagamento de um empréstimo.

Não há motivos para condená-lo”, enfatizou o advogado de defesa Giovani Miguel Lopes. Ao defender a absolvição de Neco, durante a sessão extraordinária ele também enfatizou que teriam sido cometidas irregularidades processuais. Entre elas, o fato de que a investigação deveria ter sido realizada por uma comissão processante específica, com escolha dos integrantes mediante sorteio, e não pela Comissão de Ética.

O relator da comissão responsável pelas investigações, vereador Adriano Cottica, havia dado parecer favorável à cassação. Segundo ele, após as oitivas e a verificação das provas documentais, havia fortes indícios de que Neco teria, de fato, ficado com parte do salário da servidora da Prefeitura.

Contudo, na votação prevaleceram os argumentos da defesa, o que garantiu a permanência de Neco no cargo de vereador.

Dos 13 edis, 12 compareceram à sessão. Isso porque com a licença do vereador titular Adriano Backes, que no início desta semana assumiu o cargo de secretário municipal de Agricultura e Política Ambiental, o suplente Reinar Seyboth ainda está no prazo de cinco dias úteis para decidir se assumirá ou não a vaga na Câmara de Vereadores.

Outro vereador titular ausente foi Arion Nasihgil. Por ter sido testemunha durante o processo contra Neco, ele declarou-se impedido de votar. Em seu lugar votou a vereadora suplente Maria Amália Ritt Haab.

Além de Adriano Cottica, integraram a comissão do Conselho de Ética neste caso os vereadores Josoé Pedralli, como presidente, e Vanderlei Sauer, como membro.

Com Assessoria – Por Cristiano Viteck – 18.07.2019

MAIS FOTOS
PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
INSCREVA-SE NA NOSSA NEWSLETTER E RECEBA AS PRINCIPAIS NOTÍCIAS POR E-MAIL
Participe do nosso grupo no WhatsApp