Quinta-Feira, 22 de Agosto de 2019 Fale Conosco Redação: (45) 9.9801-2350

Polícia italiana encontra míssil em posse de grupo Neo Nazista de extrema direita

INTERNACIONAL | 16/07/2019 | 10:46 |
A polícia italiana encontrou um arsenal composto por armas e um míssil em uma operação contra grupos de extrema-direita no norte do país | Fotos: Polícia Italiana/AFP |
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Autoridades italianas encontraram um míssil durante uma operação anti-terrorismo deflagrada nesta segunda-feira (15), no norte da Itália. A ação cumpriu mandados de busca e prisão contra três pessoas ligadas ao tráfico de armas internacional e à extrema direita. Além do míssil Ar-Ar, que estava desarmado, mas pode ser reativado, a operação apreendeu diversas armas e símbolos nazistas na casa de um dos acusados.

 

O míssil, de fabricação francesa, é usado pelas forças militares do Catar, segundo informou a rede BBC. O artefato foi encontrado em um armazém perto da cidade de Voghera, leste de Turim.

Lá foram presos Alessandro Monti, 42, que é suíço e proprietário do local, e o italiano Fabio Bernardi, de 51 anos. Em Pavia, norte da Itália, a polícia prendeu Fabio Del Bergiolo, 60 anos, que foi candidato ao Senado de uma cidade italiana em 2001 pelo partido nacionalista de extrema direita Força Nova.

Segundo informou a polícia, as investigações começaram há um ano quando as autoridades em Turim começaram a monitorar pessoas ligadas a grupos de extrema direita que combateram contra os separatistas ucranianos na região de Donbass. Em uma das ligações interceptadas, os suspeitos falavam em vender o míssil por 470 mil euros.

Em uma das casas vasculhadas, as autoridades encontraram um arsenal composto de nove fuzis de assalto, uma metralhadora, sete pistolas, três espingardas, vinte baionetas, munições e peças para a manutenção destas armas, além de símbolos nazistas.

Ao jornal Italiano La Reppublica, o chefe da polícia de Turim, Giuseppe De Matteis, teve de assegurar que a operação não possuía viés ideológico por uma suposta perseguição contra partidários do Força Nova. “Afirmamos que, pelo contrário, nenhuma das pessoas envolvidas foi militante da Força Nova durante anos, o que, portanto, não tem absolutamente nada a ver com as buscas desta manhã”, afirmou.

 

Com Veja

MAIS FOTOS
PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
INSCREVA-SE NA NOSSA NEWSLETTER E RECEBA AS PRINCIPAIS NOTÍCIAS POR E-MAIL
Participe do nosso grupo no WhatsApp