Porque a minha empresa precisa ter um site? Veja as respostas
 
Quarta-Feira, 24 de Julho de 2019 Fale Conosco Redação: (45) 9.9800-7080

Renault revela Triber (minivan do Kwid) e promete vendê-la na América Latina

Auto | 19/06/2019 | 10:54 |
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O sucesso do Kwid na Índia logo levou a Renault a pensar em formas de aproveitar a base do subcompacto. Veio o plano de criar variantes do projeto e a primeira delas acaba de ser apresentada: o Renault Triber. Trata-se de uma minivan com capacidade para 7 pessoas e menos de 4 metros de comprimento. Começará a ser vendida no 2º semestre, com motor 1.0 aspirado e, em 2020, receberá o inédito 1.0 SCe turbo. A fabricante diz que, após o lançamento no mercado indiano, irá levar o modelo para outros países, incluindo a América Latina.

Após a apresentação, Thierry Bolloré, CEO do Grupo Renault, conversou com alguns jornalistas indianos. "A Índia é um mercado chave para a indústria automotiva global e continuará a ser para o Grupo Renault, com mais de 500 mil carros da Renault nas ruas indianas”, disse o executivo. “O Triber foi concebido na Índia especialmente para o mercado indiano, e iremos lançá-lo primeiro aqui antes de levá-lo para mercados globais como a América Latina, onde o Kwid também tornou-se bem sucedido.”

Os teasers divulgados pela marca antes do lançamento já mostravam o que poderíamos esperar do design do Renault Triber. A frente é bem parecida com o Kwid, mas com alterações que o deixam levemente mais agressiva. Conta com novos faróis, grade e para-choque, enquanto o capô foi redesenhado e a traseira exibe lanternas bem esguias na horizontal.

O destaque está do lado de dentro. A Renault diz que reinventou o espaço interno para conseguir levar sete pessoas dentro de um carro com menos de 4 metros. E, ainda assim, teve tempo para mexer no design interno do Triber, que traz um estilo mais moderno do que o Kwid, posicionando a central multimídia de 8” (o Kwid usa uma de 7”) mais acima, colocando um painel de instrumentos digital e atualizando um pouco o volante.

A terceira fileira de bancos pode ser retirada, aumentando o espaço do porta-malas para 625 litros. Ela é mais alta do que as demais, o que dá mais espaço para pernas. A Renault diz que ela foi desenvolvida para acomodar adultos. Traz saídas de ar-condicionado, apoios de braço e até tomadas para quem viajar nos últimos assentos. A versão topo de linha vem ainda com câmera de ré, quatro airbags, chave presencial e rodas de liga leve aro 15”.

Sua motorização, neste primeiro momento, será composta exclusivamente pelo motor 1.0 SCe de três cilindros, o mesmo usado no Sandero feito no Brasil (o do Kwid tem cabeçote diferente). Porém, gera apenas 72 cv e 9,7 kgfm de torque, enquanto a versão usada por aqui alcança os 79 cv e 10,2 kgfm, com gasolina. Terá câmbio manual e automatizado, ambos de 5 marchas. Em meados de 2020, receberá uma novidade interessante: o 1.0 SCE turbo, variante inédita do motor.


PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
INSCREVA-SE NA NOSSA NEWSLETTER E RECEBA AS PRINCIPAIS NOTÍCIAS POR E-MAIL