Sexta-Feira, 16 de Novembro de 2018

Setor público tem déficit primário de R$ 25,135 bilhões em março

Resultado consolidado do mês passado ficou dentro das estimativas de analistas do mercado financeiro

Brasil

| 30/04/2018 | 12:50 | Notícias ao Minuto
Setor público tem déficit primário de R$ 25,135 bilhões em março | Brasil
PUBLICIDADE

O setor público consolidado (governo central, Estados, municípios e estatais, com exceção de Petrobras e Eletrobras) apresentou déficit primário de R$ 25,135 bilhões em março, informou nesta segunda-feira, 30, o Banco Central. Em fevereiro, havia sido registrado déficit de R$ 17,414 bilhões e, em março de 2017, déficit de R$ 11,047 bilhões.

O resultado primário consolidado do mês passado ficou dentro das estimativas de analistas do mercado financeiro ouvidos pelo Projeções Broadcast, que iam de R$ 28,445 bilhões a R$ 22 bilhões. A mediana estava negativa em R$ 24,800 bilhões.

O resultado fiscal de março foi composto por um déficit de R$ 25,531 bilhões do governo central (Tesouro, Banco Central e INSS). Já os governos regionais (Estados e municípios) influenciaram o resultado positivamente com R$ 552 milhões no mês. Enquanto os Estados registraram um superávit de R$ 291 milhões, os municípios tiveram resultado positivo de R$ 261 milhões. As empresas estatais registraram déficit primário de R$ 156 milhões.

De janeiro a março, o superávit primário do setor público consolidado ficou em R$ 4,391 bilhões, decorrente do saldo negativo de R$ 8,006 bilhões no governo central, do superávit de R$ 13,118 bilhões nos governos regionais e do resultado negativo de R$ 721 bilhões das estatais.

As contas do setor público acumulam déficit primário de R$ 108,389 bilhões em 12 meses até março, o equivalente a 1,64% do PIB. A meta de déficit primário do setor público consolidado considerada pelo governo é de R$ 161,3 bilhões para 2018.

O déficit fiscal nos 12 meses encerrados em março pode ser atribuído ao rombo de R$ 112,285 bilhões do governo central (1,70% do PIB). Já os governos regionais (Estados e municípios) apresentaram superávit de R$ 3,619 bilhões (0,05% do PIB) em 12 meses até março.

Enquanto os Estados registraram primário positivo de R$ 3,508 bilhões, os municípios tiveram um saldo positivo de R$ 111 milhões em 12 meses até março. As empresas estatais registraram resultado positivo de R$ 277 milhões no período.

Déficit nominal

O setor público consolidado registrou déficit nominal de R$ 57,631 bilhões em março. Em fevereiro, o resultado nominal havia sido deficitário em R$ 45,806 bilhões e, em março de 2017, de R$ 54,349 bilhões também negativos.

No mês passado, o governo central registrou déficit nominal de R$ 52,827 bilhões. Os governos regionais tiveram saldo nominal negativo de R$ 4,187 bilhões, enquanto as empresas estatais registraram déficit nominal de R$ 617 milhões.

Em 12 meses até março, o déficit nominal do setor público correspondeu a 7,37% do PIB, com saldo negativo de R$ 487,927 bilhões.

Gasto com juros

O setor público consolidado teve gasto de R$ 32,496 bilhões com juros em março, após essa despesa ter atingido R$ 28,393 bilhões em fevereiro.

O governo central teve no mês passado despesas na conta de juros de R$ 27,296 bilhões. Já os governos regionais registraram gasto de R$ 4,739 bilhões e as empresas estatais, de R$ 460 milhões.

Em 12 meses, as despesas com juros passaram de R$ 390,344 bilhões em fevereiro para R$ 379,538 bilhões até março (5,73% do PIB).

Dívida

A Dívida Líquida do Setor Público (DLSP) subiu para 52,3% do Produto Interno Bruto (PIB) em março, ante 52,0% em fevereiro. A dívida do governo central, governos regionais e empresas estatais terminou o mês passado em R$ 3,463 trilhões.

Já a dívida bruta do governo geral encerrou o mês passado em R$ 4,984 trilhões, o que representa 75,3% do PIB. Este é o maior porcentual da série histórica, iniciada em dezembro de 2006. Em fevereiro, essa relação estava em 75,1%. No melhor momento da série histórica, em janeiro de 2013, a dívida bruta chegou a 51,54% do PIB.

A dívida bruta do governo é uma das principais referências para avaliação, por parte das agências globais de rating, da capacidade de solvência do País.


Quer receber as notícias mais importantes de Marechal no WhatsApp? Clique aqui

EM DESTAQUE
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
ENTRETENIMENTO E VARIEDADES
INSCREVA-SE NA NOSSA NEWSLETTER E RECEBA AS PRINCIPAIS NOTÍCIAS POR E-MAIL