Quarta-Feira, 18 de Setembro de 2019 Fale Conosco Redação: (45) 9.9801-2350

Trump pressiona Forças Armadas da Venezuela a romperem com Maduro

Mundo | 18/02/2019 | 21:12 |
| Fotos: Notícias ao Minuto |
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O presidente americano, Donald Trump, pressionou nesta segunda-feira (18) as Forças Armadas da Venezuela a romperem com o regime de Nicolás Maduro e a ajudarem a restaurar a democracia no país caribenho.

A uma plateia formada por dissidentes venezuelanos e opositores a Maduro na Universidade Internacional da Flórida, em Miami, Trump acusou o ditador de ser um "fantoche cubano" e afirmou que os militares estavam arriscando seu futuro ao se manter ao lado do líder.

"Eles estão arriscando seu futuro, eles estão arriscando suas vidas e o futuro da Venezuela por um homem controlado pelas Forças Armadas cubanas e protegidas por soldados privados do Exército cubano", disse Trump.

"Maduro não é um patriota venezuelano, é um fantoche cubano." Os EUA, assim como o Brasil e cerca de 50 outros países, reconheceram o líder opositor Juan Guaidó como presidente interino da Venezuela.

A pedido de Guaidó, os EUA enviaram para Cúcuta, na fronteira da Colômbia com a Venezuela, toneladas de mantimentos, remédios e itens de higiene que o opositor tentará fazer entrar no país no próximo sábado (23), em uma caravana.

Maduro bloqueia a medida, por considerá-la um pretexto para uma intervenção militar dos EUA, e ordenou um reforço militar na fronteira.

O presidente americano advertiu que os militares não deveriam seguir as ordens do ditador venezuelano de bloquear a ajuda humanitária.

Também alertou contra quaisquer tentativas de ferir a população venezuelana, Guaidó e a família do opositor.

"Vocês não vão encontrar porto seguro, saída fácil ou escapatória. Vocês vão perder tudo", disse o republicano, que voltou a ressaltar que sua intenção é promover uma "transição pacífica" na Venezuela, mas que "todas as opções estão em aberto."

Em indiretas voltadas à ala do Partido Democrata que mais têm ganhado força nos últimos anos, liderada pelo senador Bernie Sanders, Trump fez críticas ainda ao "socialismo".

Afirmou que o socialismo transformou a Venezuela, "o país mais rico, de longe, da América do Sul", no que a nação é hoje, com confiscos em massa, supressão da liberdade de expressão, manipulação de eleições e perseguição de adversários, segundo Trump.

"Os socialistas fizeram na Venezuela o mesmo que os socialistas e regimes totalitários fizeram onde tiveram a chance de governar, com resultados catastróficos", afirmou.

"Os dias de socialismo e comunismo estão contados não só na Venezuela, mas na Nicarágua e em Cuba também."O presidente americano disse que, àqueles que tentam impor o socialismo nos EUA, "nós damos uma mensagem muito simples: a América nunca vai ser um país socialista."

Pouco antes de Trump discursar, Guaidó falou por videoconferência no evento em Miami. Ele agradeceu o apoio do líder americano e afirmou que o país enfrenta um debate entre "democracia e ditadura, entre vida e morte."

"Estamos determinados a pressionar a ditadura que evadiu a lei, mantém prisioneiros políticos e perseguiu muitos venezuelanos", afirmou. 

PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
INSCREVA-SE NA NOSSA NEWSLETTER E RECEBA AS PRINCIPAIS NOTÍCIAS POR E-MAIL
Siga nosso Insta e veja notícias em tempo real.