Segunda-Feira, 23 de Setembro de 2019 Fale Conosco Redação: (45) 9.9801-2350

Atleta em estado grave voltou para ajudar amigos e queimou 35% do corpo

Esporte | 11/02/2019 | 07:01 |
| Fotos: Uol Esportes |
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Internado em estado grave no Hospital Pedro II, no Rio de Janeiro, o jovem Jhonata Ventura, de 16 anos, chegou a se salvar momentaneamente do incêndio no CT do Flamengo, que matou dez jogadores da base do clube na última sexta-feira (8). O zagueiro, porém, voltou para tentar ajudar amigos e queimou pelo menos 35% do corpo, além de machucar com gravidade a mão, o braço e ficar com queimadura na parte superior do corpo.

"Ele foi herói. Ele voltou, sabendo da situação dos amigos, e começou a tentar a quebrar as janelas. Não foi só a de um quarto. Ele e outros amigos que se salvaram tentaram quebrar várias janelas para poder socorrer, e isso trouxe um dano para ele. O braço direito foi o mais afetado", disse o agente do jogador em entrevista à TV Globo.

Jhonata segue internado no Centro de Tratamento de Queimados (CTQ) e apresenta queimaduras de 2° e 3°graus em 35% do corpo, além de ter inalado muita fumaça. O atleta passou por uma broncoscopia, exame que serve para avaliar as vias aéreas, no último sábado (9).

O último boletim da Secretária Municipal de Saúde do Rio de Janeiro diz que o jovem apresenta quadro febril nas últimas 24 horas. Neste domingo (10), ele foi submetido novamente a banho das queimaduras mais profundas e curativos. 

Dez jogadores da base do Flamengo, entre 14 e 16 anos, morreram na tragédia: Christian Esmério Candido (15 anos), Vitor Isaías (15 anos), Jorge Eduardo (15 anos), Pablo Henrique da Silva (15 anos), Bernardo Pisetta (14 anos), Arthur Vinicius (14 anos), Athila Paixão (14 anos), Gedson Santos (14 anos), Rykelmo Vianna (16 anos) e Samuel Thomas de Souza Rosa (15 anos).

Além de Jhonata, mais dois atletas estão internados. São eles: Cauan Emanuel, 14 anos, que teve alta do CTI (Centro de Terapia Intensiva) e seguiu para o quarto na tarde do último domingo, e Francisco Dyogo, 15, que está em "curva de melhora". Com recuperação mais lenta, ele seguirá o tratamento de fisioterapia no CTI. Ambos estão no Hospital Vitória, na Barra da Tijuca.

PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
INSCREVA-SE NA NOSSA NEWSLETTER E RECEBA AS PRINCIPAIS NOTÍCIAS POR E-MAIL