Quarta-Feira, 23 de Outubro de 2019 Fale Conosco Redação: (45) 9.9801-2350

Como fotografar estrelas e a Via Láctea

ASTRONOMIA | 16/09/2019 | 15:24 |
| Fotos: den-belitsky/Getty Images/iStockphoto |
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Ótimas fotos noturnas – aquelas com estrelas brilhantes e a Via Láctea praticamente pulando da tela – são sempre um grande sucesso no Instagram. Mas como você captura um momento assim? Você não pode simplesmente apontar sua câmera para as estrelas e esperar ter sorte. Uma fotografia com estrelas capta mais do que o olho pode ver, e você tem que deixar a câmera fazer o trabalho pesado.

O fotógrafo outdoorAndy Best domina cliques noturnos e conquistou mais de 600 mil seguidores do Instagram. Nós conversamos com Andy para saber como ele faz isso.  

1. Obtenha os equipamentos certos

Primeiro, a câmera. Obtenha uma que possa trabalhar com um ISO – a sensibilidade da câmera à luz – de 3200 a 6400, o que significa que ela funcionará bem com pouca luz. Os novos a7s da Sony, que podem chegar a um ISO de 400.000, é um dos melhores que já usei, mas uma Canon 6D  também fará o truque.

A lente também é importante. Procure por uma rápida e com um ângulo relativamente amplo. 16mm é uma grande distância focal, mas uma lente prime de 24mm mais tradicional também pode funcionar. Minha escolha é uma Canon 16-35 f2.8 e, ocasionalmente, uma de 50 mm. São lentes afiadas que funcionam bem para capturar o céu noturno. Quando o kit da câmera estiver definido, você precisará de um tripé sólido e remoto – chamado de intervalômetro – que possa acionar a câmera.

Dica Pro: Eu sempre trago lanterna com uma luz vermelha, que não estraga sua visão noturna. Também é útil ter um aplicativo em seu telefone para mostrar onde a Via Láctea estará tarde da noite para que você possa planejar a foto durante o dia. Eu gosto do aplicativo Star Walk porque ele tem uma tonelada de informações, mas não é muito complexo.  

2. Encontre o local perfeito

Você pode obter uma ótima foto noturna em qualquer lugar, mas a localização afetará sua composição final. 

Eu tento escolher pontos com uma paisagem atraente (com uma formação rochosa ou cordilheira) que tenha clima bom e previsível. Nuvens são seu inimigo. Pense em lugares que você adora fotografar durante o dia e veja como eles ficam à noite. E quanto mais longe da cidade estiver, melhor: você não quer ter que lidar com a poluição luminosa.

3. Faça a escolha: Startrails (rastro de estrelas) ou Via Láctea

Capturar um startrails – ou o movimento das estrelas no céu – é melhor quando você tem uma lua cheia ou quase cheia porque menos estrelas aparecem no céu, o que pode resultar em uma imagem menos poluída. E eu gosto de compor a imagem: vou centrar a Estrela do Norte, mais conhecida como Polaris, ou outra característica natural, e ver o céu girar em torno dela. O céu do norte gira em torno de Polaris, por isso faz um ótimo ponto central para qualquer foto.

Se você está capturando fotos sem movimento de estrela, você vai querer muito menos luar. Vá em uma noite com um quarto de lua, que permite capturar alguns detalhes na paisagem, mas não é muito brilhante. Eu gosto de compor uma foto da Via Láctea quando ela está no horizonte, o que geralmente acontece nos EUA no meio do verão.

Dica Pro: A Via Láctea parece diferente dependendo da sua localização e da época do ano. Acompanhe seu movimento e planeje uma viagem usando o aplicativo ou outros mapas celestes na internet. 

4. O clique perfeito

Uma ótima foto é inspirada por algo e evoca um sentimento com o qual você pode se relacionar. Um enquadramento que inclua a sua barraca alguma ação é sempre mais interessante do que apenas a Via Láctea.

Quando se trata de técnica, obtenho um foco nítido nas estrelas mudando para o modo de vídeo e acionando o ISO o mais alto possível. Então eu aponto para a estrela mais brilhante no céu, ajusto o foco, seguro a lente para não desajustar nada acidentalmente e depois mudo de volta para o modo foto e minhas configurações desejadas – tente f/2.8, 25-30 segundos e ISO 6400 para começar.

Depois de enquadrar a foto desejada, verifico se meu tripé está seguro e aciono as configurações da câmera usando o controle remoto ou o temporizador da câmera para disparar o obturador, para evitar que a vibração seja adicionada ao tripé. E clique. 


Por Andy Best, da Outside USA

MAIS FOTOS
PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
INSCREVA-SE NA NOSSA NEWSLETTER E RECEBA AS PRINCIPAIS NOTÍCIAS POR E-MAIL