Porque a minha empresa precisa ter um site? Veja as respostas
 
Sábado, 15 de Junho de 2019 Fale Conosco Redação: (45) 9.9800-7080

Venezuela: Guaidó acreditou em promessa que não vingou, avaliam autoridades brasileiras

Mundo | 02/05/2019 | 20:19 |
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

As autoridades brasileiras ainda tentam entender o que realmente levou o autoproclamado presidente da Venezuela, Juan Guaidó, a agir na terça-feira como se contasse com adesão militar.

Guaidó convocou atos de protesto na expectativa de derrubar do poder Nicolás Maduro. Ele afirmava ter conquistado o apoio de militares. A leitura que se faz é que pode ter se fiado em alguma promessa, que não vingou.

A tentativa de Guaidó, no entanto, já resultou em “nítido desconforto de Maduro", analisa um importante militar do Palácio do Planalto.

Ele chama a atenção para o fato de Maduro ter aparecido nesta quinta-feira (2) numa “estranha cerimônia, dentro do quartel, com militares desarmados” e afirma que “algo está acontecendo”.

O desafio é convencer os militares de altas patentes a abandonarem o ditador venezuelano.

No âmbito diplomático, a ação é pressionar Maduro a entregar o poder a Juan Guaidó, que, por sua vez, convocaria eleição presidencial. E, sem fraudes, como têm sido os últimos processos eleitorais, tudo indica que o chavismo teria uns 30% dos votos e a oposição, uns 70%.

Ainda segundo a análise desse militar, o Brasil acabou ficando a “reboque dos Estados Unidos”, sem protagonismo nessa busca de solução para a crise venezuelana.

O apoio a Guaidó, foi “sem análise de riscos e, talvez, não tenha sido a melhor decisão. Mas já não se pode voltar atrás”.

O rescaldo da crise venezuelana, no Brasil, vai muito além da fronteira e das declarações das autoridades, em público.

Nos bastidores, o que se observa é que há fissuras entre o modus operandi da diplomacia e os estrategistas militares. E são os militares os moderados.

PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
INSCREVA-SE NA NOSSA NEWSLETTER E RECEBA AS PRINCIPAIS NOTÍCIAS POR E-MAIL